Naufrágio lendário: Endurance de Shackleton é descoberto nas águas antárticas

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

A descoberta do naufrágio é “um marco na história polar”, diz o diretor da busca. Destroços parecem bem preservados, apesar de o navio haver sido esmagado e afundado por blocos de gelo.

A roda de leme do naufrágio do Endurance, afundado depois de ficar preso e ser esmagado pelo gelo marinho ao redor da Antártida em 1915, durante a lendária expedição do explorador Ernest Shackleton. Crédito: Falklands Maritime Heritage Trust/National Geographic

O naufrágio do iate a vapor Endurance, que afundou em 1915 durante uma expedição antártica do explorador polar Ernest Shackleton, foi redescoberto por pesquisadores por meio de veículos submarinos autônomos.

O navio foi encontrado a uma profundidade de 9.869 pés (3.008 metros) abaixo do Mar de Weddell, na Antártida Ocidental, de acordo com o Falklands Maritime Heritage Trust (FMHT), que promoveu a busca.

Isso é apenas cerca de 4 milhas náuticas (7 km) ao sul do local fixado pelo capitão do navio, Frank Worsley, que usou um sextante para registrar a posição de seu naufrágio após vários meses do navio ter ficado preso e, depois, ser esmagado por gelo.

“Este é um marco na história polar”, disse o diretor da expedição de busca, Mensun Bound, em um comunicado. “Estamos impressionados com nossa boa sorte em localizar e capturar imagens do Endurance.”

Shackleton registrou que o navio foi esmagado por porções de gelo marinho que, ao longo de semanas, o fizeram tombar e avariaram as tábuas na popa.

Mas os destroços encontrados do Endurance parecem notavelmente bem preservados, apesar de suas provações.

“Este é de longe o melhor navio de madeira naufragado que já vi”, disse Bound. “Está ereto, muito orgulhoso no fundo do mar, intacto e em brilhante estado de conservação. Você pode até ver [o nome] ‘Endurance’ arqueado na popa.”

A redescoberta é o culminar de anos de busca pelo Endurance, famoso por causa das dramáticas fotografias de seu naufrágio e da surpreendente jornada de sobrevivência da sua tripulação.

Mas ele está localizado a apenas algumas centenas de quilômetros da costa da Antártida; a região é muitas vezes completamente coberta de gelo marinho, o que obrigou os esforços de busca anteriores a retroceder.

Uma equipe de pesquisadores a bordo do navio de pesquisa polar sul-africano Agulhas II finalmente localizou o naufrágio no sábado (5 de março) – por coincidência, o centésimo aniversário do funeral de Ernest Shackleton, em 1922.

“Concluímos com sucesso a busca de naufrágios mais difícil do mundo, lutando contra o gelo marinho em constante mudança, nevascas e temperaturas caindo para -18 C [menos 0,4 F]”, disse o líder da expedição de busca, John Shears, à BBC News. “Conseguimos o que muitos diziam ser impossível.”

O naufrágio do Endurance foi encontrado por um veículo submarino híbrido Saab Sabertooth controlado por operadores no Agulhas II. Os veículos robóticos podem operar tanto com corda quanto de forma autônoma, como fizeram na última pesquisa.

Após mais de duas semanas de busca em uma área pré-definida com base nas correções originais do sextante de Worsley, o Agulhas II avistou o naufrágio, de acordo com o FMHT.

O FMHT observa que o naufrágio está protegido como Sítio Histórico e Monumento sob o Tratado da Antártida e disse que não será tocado de forma alguma enquanto estiver sendo pesquisado a partir das Agulhas II.

A expedição de busca teve sorte com as condições no Mar de Weddell, que pode ser notoriamente congelado. No mês passado, ocorreu a menor extensão de gelo marinho da Antártida registrada durante a era dos satélites, que remonta à década de 1970, informou a BBC.

História

Shackleton usou o Endurance em sua terceira de quatro expedições à Antártida.

Ele havia visitado o continente sul congelado duas vezes antes, de 1901 a 1903, como subordinado do explorador polar Robert Falcon Scott. Neste período, participou do primeiro voo de balão de ar quente da Antártida, e depois visitou o continente outra vez, de 1907 a 1909, quando sua equipe alcançou a localização estimada do Polo Magnético Sul.

Uma equipe liderada pelo explorador norueguês Roald Amundsen foi a primeira a chegar ao Polo Sul geográfico em 14 de dezembro de 1911, algumas semanas antes de uma equipe liderada por Scott, que terminou em tragédia.

O objetivo de Shackleton em 1915 era completar a primeira travessia completa do continente antártico, de trenó puxado por cães, do Mar de Weddell, através do Polo Sul, até a Ilha de Ross no Mar de Ross – uma distância de cerca de 2.900 km.

O Endurance deveria levar Shackleton e sua equipe à costa sul do Mar de Weddell para a expedição terrestre. Mas o navio ficou preso no gelo do mar em outubro de 1915, e a tripulação o abandonou e transferiu tudo o que podia para o acampamento nos blocos de gelo.

Tom Metcalfe

Tom Metcalfe é um jornalista freelance e contribuinte regular do Live Science que mora em Londres, Reino Unido.

Publicado originalmente no site da Scientific American dos EUA em 09/03/2022; aqui em 11/03/2022.

Receba a nossa newsletter

enviaremos todas as informações em seu e-mail

Descubra mais...